A Itália de Sofia - Um olhar irreverente sobre a Sardenha

Com um olhar crônico e humor irreverente a jornalista Sofia Afonso Ferreira  relata sua breve passagem pela região da Sardenha na Itália, este país que sempre é lembrado por ser cenário romântico de alta gastronomia desta vez será retratado por outra ótica ao longo de alguns artigos aqui no Tugalink

Meias brancas na praia

Ontem aterrei em Itália e lembrei-me do quanto adoro este país. É semelhante a Portugal mas com muito mais chalados. E onde nós vendemos melancolia, eles oferecem cabelinho na venta.
Hoje de manhã, chegada a uma praia na ilha. Estão uns 35º e um tipo vende coisas a quem chega. Garrafas de água? Chapéus? Protectores solares? Caipirinhas? Raquetes?
Não. Meias brancas de algodão. Isso. Meias brancas de algodão.
Como não amar isto tudo e dar beijinhos na testa a esta gente?

A zaragata Italiana

A zaragata. A zaragata é o nome que dei a um fenómeno que só acontece em Itália. Quando há uns anos pseudo vivi entre Lisboa e Milão demorei algum tempo a compreender isto.
Uma pessoa entra no restaurante/taxi/loja, etc, e desata a discutir. Os preços caríssimos, a roubalheira, vê-se mesmo que estão a enganar, o taxista/empregado tem cara de fuinha, o trajecto é o mais longo, a música é de propósito para irritar.
Discutem, insultam-se, vaffanculo, o teu avó era um merdas, a trisavó era peixeira, etc. Parecem uns fadistas possessos pelo diabo.
Depois perguntam o nome, dão beijos e palmadas nas costas, cumprimentos à senhora e aos meninos lá em casa e toma lá uma gorjeta choruda.
É a zaragata, o desporto nacional.
Ainda agora, ia eu a andar na rua e passa um casal em sentido contrário na zaragata, berraram pela rua fora, insultos para aqui e para acolá, não sei bem o que diziam porque na ilha ninguém os percebe, a história ao léu para quem os quisesse ouvir.
Mas como eu os conheço, podia não passar tudo de um grande amor e discutiam os planos para o casamento.

  • Textos livremente copiados do Facebook pessoal da autora, com prévia autorização pessoal.

Veja também este olhar sobre Portugal: Como é viver em Portugal?

Deixe um comentário!