Buracas de Casmilo – Pela estrada longa da minha esperança…

(…)"Buracas de Casmilos", local e nome desconhecido para mim até uns dias antes. Não fosse o seu particular nome chamar-me atenção, continuaria distante do meu pensamento o seu conhecimento e a sua beleza.

Sai cedo de casa, ainda o sol estava timidamente acordar, os cabelos  não foram ao vento, nem o vento os encontrou. O dia cresceu sonolento de sol, mas quente, molhado por um pouco de chuva ao fim da manhã. O sol não se fez muito presente, é verdade, no entanto tive um dia cheio de luz e simpatia. Começou pela maravilhosa companhia da minha amiga Adelaide, que pela primeira vez se juntou a mim nestes desafios que vou lançando a um grupo de várias amigas. Fomos mais uma vez ao encontro do simpático Diogo, aquele miúdo com rosto já de homem, que leva consigo, as costas, uma mochila do tamanho da sua responsabilidade, não fosse ele a dar a cara por tão bonitas, singulares, coloridas, 'moderadas' e 'difíceis' caminhadas por entre tanta beleza que este nosso país tem guardado no colo da sua natureza. (…)

Deixe um comentário!