O universo de Philip Roth, segundo seus tradutores

De 1959, ano do lançamento de “Adeus, Columbus”, até meados de 2010, com “Nêmesis”, Philip Roth escreveu quase 30 romances, além de ensaios e textos críticos. Considerado por muitos o maior escritor americano em atividade, Roth morreu na noite de terça-feira (22), vítima de insuficiência cardíaca.

Sua prosa criou personagens icônicos e retratou tipos que simbolizam a sociedade americana do século 20, em suas idiossincrasias e fobias. Sexo e culpa, identidade e ruptura, a vida provinciana e o desejo de se descolar dela são elementos fundadores da obra de Roth, que decidiu parar de escrever em 2010, considerando ter feito o melhor que pôde.

Deixe um comentário!