Pensa em morar fora do país? Não leve o Brasil com você…

morar fora do país

Tenho visto, com constância, dois movimentos em massa no último ano.

O primeiro deles é quase que uma debandada, uma colonização ao contrário, a descoberta de um oásis esquecido… A cada dia, cresce número de pessoas saindo do Brasil e indo para Portugal, como se esse movimento fosse resolver todos os problemas existentes para todo o sempre.

Ao mesmo tempo, já existem sinais da volta. Brasileiros, decepcionados com o que encontraram no “Além Tejo”, estão voltando e vociferando contra tudo que acharam por lá.

Só para contextualizar, moro há quase 7 anos em Dublin, na Irlanda. E, apesar de muitas diferenças entre a Irlanda e Portugal, ambos são países Europeus, com quase 2000 anos a mais de história que o Brasil e muito mais vivência de bons e maus momentos.

Morar na Europa não é apenas ter mais segurança, educação para os filhos e poder confiar no sistema de saúde público… É muito, mas muito mais do que isso!

É uma oportunidade única de passar por uma transformação interna, uma possibilidade de se inserir e ser profundamente influenciado por outra cultura e, acima de tudo, de ampliar a visão sobre o mundo, sobre as relações humanas e sobre tudo que nos cerca.

Porém, infelizmente, uma parte significativa das pessoas, que faz essa mudança sem preparo, não aproveita o que há de melhor nessa história! É exatamente aí que afirmo que a pessoa saiu do Brasil, mas que o Brasil não saiu dela…

O que quero dizer com isto é que muitas pessoas deixam o país pensando que vão achar um outro “Brasil” do outro lado do Atlântico. Acham que vão para um lugar semelhante mas com mais segurança, saúde e educação, e não estão preparadas para mergulhar, de verdade, na cultura local. Elas não conseguem entender que a melhor segurança, saúde e educação não são causa e sim efeito! São efeito de uma organização social diferente que, muitas vezes, as pessoas não estão dispostas a aceitar e se adaptar.

Não adianta chegar na Europa procurando por uma empregada doméstica, querendo comprar um carro do ano, tentando usar “títulos sociais” para ter privilégios comprados, se esquivando da convivência com todas as classes sociais ou mesmo, acreditando que as suas conquistas podem fazê-lo diferente. Por aqui, não é assim que a “banda toca”…

Aqui, felizmente, existe um sentimento muito maior de convivência coletiva! Tacitamente, há uma percepção natural de causa e efeito na vida do vizinho, de respeito às diferenças, de abertura ao relacionamento com pessoas de diferentes classes sociais e de um mundo mais igualitário. Como consequência disso tudo, está o tripé segurança, saúde e educação citado anteriormente.

E não, nada foi criado artificialmente ou implantado por um determinado governo. Foi constituído pelo aprendizado de anos de convivência harmônica, de altos e baixos, de guerras e de reconstruções.

Sinto isso muito forte em Dublin! Em todos esses anos que moro aqui, NUNCA senti nenhum tipo de preconceito pela minha nacionalidade. Sei que em Portugal, talvez não tivesse a mesma sorte… Porém, o quanto cada um que busca por esta mudança de país está de fato disposto a mergulhar na cultura, a testar coisas diferentes e a estar, efetivamente, aberto para um novo estilo de vida?

Outro ponto é que não adianta muito se mudar para o exterior e ficar vivendo em guetos brasileiros, sem se permitir mergulhar de cabeça na cultura, deixando-se ser transformado e influenciado.

Se não estiver pronto para isso, talvez a melhor mudança seja ir para cidades do interior do Brasil em estados como Santa Catarina ou São Paulo, por exemplo. Por que não tentar?

Enfim! São apenas reflexões… Talvez, os problemas não estejam exatamente no país onde se mora e sim dentro de cada um de nós.

Acredite! Esta é uma mudança que está muito além de fazer as malas e encontrar uma outra cidade para morar…

Se você gostou e faz sentido para você, por favor, curta, compartilhe e comente. Me conte sobre os seus desejos e se já pensou em morar em outro país. Pode ser aqui nos comentários ou mesmo por mensagem direta.

Assim como eu fiz, acredito que todos, com um preparo anterior, podem morar fora também! Se você quiser mais informações e se aprofundar em como gerar mudanças em sua vida, baixe agora mesmo o meu ebook, clicando AQUI!

  • Texto copiado integralmente do linkedin com autorização do autor.

Quer ler mais textos do Sabático? Veja estes artigos:

Deixe um comentário!